Como romper com a procrastinação?

Você é dessas pessoas que, como tantas outras, deixa para fazer as coisas na última hora? Você sabe o que há por trás da procrastinação?

Muitos têm dificuldade de terminar o que começam ou deixam para começar na última hora do prazo determinado.

Todos sabemos o quanto é bom e agradável concluir compromissos assumidos. Também sabemos o sofrimento de quando estamos com pendências, com coisas inacabadas e com o prazo já vencido. Isso nos traz muito mal-estar, insônia, culpa e, às vezes, até dores físicas.

Há quem diga que isso seja preguiça, má vontade, irresponsabilidade e tantas outras acusações.

Mas, que força é essa que impede as pessoas de fazerem aquilo que gostariam de fazer?

Em nossas pesquisas, estudos e atendimentos clínicos, constatamos diversas razões que levam à procrastinação.

Não raro, o indivíduo, em sua estruturação de personalidade, esforçou-se muito para alcançar um determinado resultado e, quando o alcançou, pode ter sido muito desvalorizado e/ou sofrido humilhações.  Assim, ele acabou registrando em sua mente que, concluir algo é frustrante e, por isso, não encontra motivação nem vontade para terminar algo, pois teme acabar em nova frustração.

Outra razão é a pessoa ter sido, por muitas vezes, chamada de “burra”, que não dá conta de nada, que é incapaz, que nunca vai conseguir o que quer.  Isso faz com que ela se identifique com o que foi dito, sentindo-se desse modo,  e acaba não acreditando em si mesma.

Em alguns casos, fechar ciclos passa a representar um risco em função de programações de vida intrauterina em que a mãe teve medo do parto, e, pior ainda, se o parto do cidadão foi realmente difícil e de risco.

O subconsciente, que padroniza e generaliza tudo, faz uma associação com essa dificuldade e àquilo que se assemelha com o final da gestação, com um fim de ciclo muito difícil, tende a “proteger” o indivíduo do risco de um fim complicado, e “livrando-o” de um novo “perigo” ao fechar um novo “ciclo”: daí a procrastinação.

Essas são algumas razões, mas podem surgir outras programações que levam a pessoa a procrastinar. O certo é que, quem procrastina sistematicamente, tem uma programação mental subconsciente que a impede de concluir, não é decisão da própria pessoa.

O que fazer para acabar com a procrastinação?

Caso a procrastinação aconteça por questões mais superficiais e passageiras, como por stress, cansaço ou um certo comodismo, uma dose de boa vontade, determinação e disciplina, resolvem a questão.

Por outro lado, se for em decorrência de programações mais profundas, como as descritas acima, então é importante, por meio do processo terapêutico, localizar a causa das dificuldades que bloqueiam a pessoa.

Para a partir daí, reprogramar seu subconsciente, liberando-a de certos “ganhos secundários” que a levam à inercia diante de fechamentos de ciclos ou conclusão de compromissos.

Para finalizar, é sempre importante compreender os processos mentais de cada um,  sem taxá-lo como culpado, preguiçoso ou presumir que esteja de má vontade.

Texto de Vilson Stolf

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe
nas suas redes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.