Em texto anterior, escrevi sobre algumas das características das Personalidades Pragmática e Idealista. Mas, por que algumas pessoas de personalidade Pragmática ou Idealista, não se enquadram nas respectivas características apresentadas?

Todos temos uma personalidade que, segundo a Parapsicologia, ou somos de personalidade Pragmática ou Idealista.

Contudo, algumas pessoas não apresentam um comportamento ou característica de comportamento conforme definido em cada uma das personalidades.

Ocorre que, algumas vezes, aqueles que são o primeiro filho ou primeira filha do casal, portanto de personalidade pragmática, tiveram uma estruturação de personalidade muito difícil. Em decorrência disso, passam a ser definidos como Pragmáticos Sofridos, ou seja: durante a gestação, nascimento ou primeira infância, vivenciaram momentos muito difíceis, como ameaça de aborto, rejeição, parto difícil, ou outros acontecimentos, que fizeram com que  soasse para o bebê/criança como uma ameaça à sua sobrevivência.

Assim, esses sentimentos anulam aquela segurança sentida pelo Pragmático definido. Nesse caso, a pessoa, ainda que de personalidade pragmática, apresenta comportamentos próprios do idealista.

E quanto aos Idealistas?

Da mesma forma,  algumas pessoas de Personalidade Idealista – os demais filhos após o primeiro filho e a primeira filha do casal – podem apresentar comportamentos próprios do pragmático.

Isso decorre por várias razões. Quando o irmão (ã) pragmático (a), não assume o papel de pragmático em decorrência do sofrimento, o idealista tende a assumir esse papel, embora continue com sua personalidade de idealista.

Sempre que, por necessidade de sobrevivência, a vida exige do idealista ações pragmáticas, decisões imediatas e importantes, em que não se pode ficar postergando – pensando muito, aguardando que alguém o ajude, que o “empurrem” -, ele acaba desenvolvendo comportamentos mais pragmáticos. É uma questão de sobrevivência.

Outro aspecto importante de ressaltar, é que tanto o pragmático como o idealista têm um percentual de características da outra personalidade, ou seja, o pragmático definido tende a ter 60% de características de pragmático e 40% de características de idealista. Isso decorre do fato de que o pragmático, em certas situações, não pode agir de forma essencialmente pragmática, precisa mais calma, pensar mais e ser mais tranquilo.

O mesmo acontece com o idealista em estado de equilíbrio. Ele vai ter 60% de características de idealista e 40% de pragmático.

Portanto, é importante que aquele que não tem esses percentuais em equilíbrio, de acordo com sua personalidade original,  por si só ou com a ajuda de um profissional, busque corrigir esses percentuais. Assim, a partir desse equilíbrio, a pessoa irá dispor de comportamentos e atitudes apropriadas segundo as necessidade de cada situação.

E você? Se enquadra na definição de estrutura de personalidade apresentada pela parapsicologia?

Se ficou com mais alguma dúvida, não deixe de nos escrever! É sempre bom produzir conteúdos que sejam relevantes para você!

Até breve! 🙂

Texto de Vilson Stolf

Adaptação: Marcela Salomão

Facebook
Facebook
YouTube
Instagram
WhatsApp