Depressão é um dos maiores males da humanidade nos últimos tempos.

Mas ela tem cura! Veja o caso clínico a seguir.

Maria nos procurou certa vez, com uma depressão que já a acompanhava por anos. Há mais de três anos, fazia psicoterapia e tomava remédio por indicação do psiquiatra.

Na Orientação Parapsicológica que fizemos, fomos levantar, como de praxe na Psicoterapia Sistêmica, o histórico de Maria.

Da concepção e vida intrauterina, ao processo do nascimento e a primeira infância, bem como as informações de antes da concepção, a fim de conhecermos suas heranças genéticas.

Logo, soubemos que a cliente teve uma gestação muito difícil. Sua mãe engravidou dela aos 16 anos, sem as mínimas condições de ser mãe. Quanto ao pai, este não assumiu a filha.

Diante do grande desafio para não dizer problema -, a mãe, muito insegura com tamanha responsabilidade, viveu uma gestação terrível. Pensou, inclusive, em abortar a filha, pois também não contava com o apoio dos pais.

A Parapsicologia, há décadas, vem confirmando em suas pesquisas, que esse é um caso que tende a levar o futuro cidadão a sofrer de depressão, visto que, pela experiência, a depressão tem por origem básica, a ameaça à sobrevivência.

Era assim que Maria se sentia quando a mãe, movida por sua insegurança, considerava a possibilidade de abortá-la: Maria sentia-se ameaçada em sua sobrevivência!

Como a estrutura da personalidade se forma, em grande parte, durante a vida intrauterina, estabelece-se no subconsciente de Maria uma forte sensação de insegurança.

Deste modo, fatos simples para a maioria das pessoas, para ela são traumáticos, e a depressão se manifesta como uma forma de proteção diante dos “perigos” existentes.

A Hipnose e Regressão como alternativas na cura da depressão

Por meio da Hipnose e Regressão, porém, Maria se dá conta da verdade.

Ela pôde compreender que o perigo à sobrevivência foi muito mais pelo temor da mãe em não dar conta de criar aquela criança, do que por qualquer outro motivo. A ameaça, no entanto, ficou registrada no subconsciente da filha.

Essa programação, por sua vez, fazia com que Maria sentisse que em sua vida nada tinha graça, tampouco sentido. Tudo era muito difícil para ela.

Porém, levo Maria, então com 42 anos, a perceber que se está ali na minha frente, ela é uma grande vitoriosa, bem como a sua mãe que, mesmo em uma situação tão difícil, o desejo de proteção acabou sendo maior do que o perigo e a vida prevaleceu!

Além disso, foi importante para Maria perceber que, hoje, não há nenhuma ameaça real à sua vida, podendo sentir-se segura e confiante!

A realidade de hoje não é a mesma de quando foi gestada! Pelo contrário, ela vive um momento de conforto externo, com família e boa condição financeira. É possível sentir-se segura internamente.

Assim, após três sessões de Hipnoterapia Sistêmica, reprogramando o subconsciente pela compreensão dos fatos traumáticos sob outro ponto de vista, que não mais o do trauma, Maria sente-se definitivamente livre da depressão e está muito feliz com a nova vida que passou a ter a partir desse processo terapêutico.