Será que o ser humano tem poder de influenciar as vibrações do Planeta Terra?

Em 1952, um físico alemão chamado Wilfried Otto Shumann, constatou em suas pesquisas científicas, que havia um campo eletromagnético que vai da terra até a ionosfera, 100 km de altura e, cujo campo, vibrava em 7,83 ciclos por segundo.

Da mesma forma, ao analisar os vertebrados, entre eles os seres humanos, constatou-se, também, que estes vibravam na mesma intensidade.

É o nível de vibração ideal para sobreviver, pois é quando se pode viver a tranquilidade, a paz, o bem-estar e, consequentemente, a saúde.

Contudo, uma nova pesquisa realizada nas décadas de 80 e 90, revelou que o mesmo campo eletromagnético vibrava entre 11 e 13 ciclos por segundo, tanto no campo eletromagnético como nos vertebrados, incluindo os seres humanos. Uma alteração muito significativa.

No entanto, o que aconteceu? O planeta se desequilibrou? Perdeu o rumo?

Não, não foi o planeta que se desequilibrou. Os inúmeros aparelhos que produzem ondas eletromagnéticas interferiram nessas vibrações, mas quem mais contribuiu para esse desequilíbrio, sem dúvidas, foi o ser humano.

As Emoções e suas Vibrações

Vejam que de 1950 em diante, ocorre a grande explosão demográfica. Conseguiu-se prolongar a expectativa de vida dos humanos e, hoje, somos mais de 7 bilhões de pessoas vivendo no planeta.

A maioria dessas pessoas vivem estados emocionais de intensa agitação por insegurança, angústia, tristeza, ansiedade, raiva, agressividade, depressão e outros tantos sentimentos negativos.

Essas intensas emoções emitem uma energia vibracional negativa muito elevada e é isso que faz com que as vibrações desse campo eletromagnético sejam alteradas.

O que fazer?

Voltar a vibrar na intensidade de 7,83 ciclos por segundo! Como? Nós podemos ser uma ilha de paz em meio a esse mar revolto de humanos.

Uma vez organizado nosso mundo interior, criando um estado de paz, tranquilidade e bem-estar, o mundo exterior não nos afeta mais. A “turbulência” interna só ocorre quando damos poder ao exterior sobre o nosso mundo interior.

De mesmo modo, na medida em que vivermos a paz interior, também contribuiremos para a calmaria do campo eletromagnético, no qual estamos inseridos. Nós influenciamos e somos influenciados por este campo!

Portanto, o primeiro passo é estarmos atentos ao nosso mundo interior, pois, se o que ocorre além de nós perturba, agita e desencadeia turbulências desproporcionais e exageradas, o problema não está nos outros nem no mundo exterior.

Assim, a pergunta clássica a ser feita é:  o que há comigo que tal situação me deixou tão transtornado?

Caro leitor, o problema e a solução estão sempre dentro de cada um de nós. Assim, lembre-se de sempre que apontamos um dedo para o outro, tem três apontando para nós.

Texto de Vilson Stolf

Adaptação: Marcela Salomão

Facebook
Facebook
YouTube
Instagram
WhatsApp