A palavra depressão tem origem geográfica e caracteriza um espaço geológico que sofreu um afundamento de terra. Como fenômeno psíquico, começou a ser utilizada a partir do século XX, com muita propriedade, pois traduz o sentimento de perda de chão, perda de base. “Fiquei sem chão”.

Assim, as pessoas que sofrem ou já sofreram depressão relatam sentir esse declínio emocional, ocasionado por uma mente que entrou em colapso, afetando brutalmente sua vida. Logo, a depressão pode ser comparada ao sentimento de luto, porém, a falência não é física, mas sim, emocional.

Geralmente, existe um gatilho que desencadeia a depressão. Esse fato pode ser tão sutil e até mesmo passar despercebido, mas, uma vez acionado, tudo muda.

Uma mudança brusca na vida, uma separação; doenças; expectativas frustradas; falta de propósito de vida… Todos estes fatores podem ser gatilhos para depressão, mas não são a sua causa.

Para a Parapsicologia Independente do Sistema Grisa, a depressão tem origens profundas e antigas e, frequentemente, a pessoa não tem consciência da origem dessa programação mental.

Sabemos que, quando uma pessoa desenvolve um quadro depressivo severo, isso significa que até quatro gerações antecedentes apresentaram o problema.

Para o médico espiritualista Deepak Chopra, a depressão é considerada uma doença de grande componente genético, visto que mais de 80% dos depressivos tem alguém da família que já sofreu ou ainda sofre da doença.

O que desencadeia a depressão?

Pessoas deprimidas aprenderam a ter uma reação distorcida quando algo dá errado em suas vidas, ou seja, desenvolveram uma programação a nível subconsciente atrapalhada; como por exemplo, “é minha culpa”, “não sou bom o suficiente”, “não vai dar certo”, “não posso fazer nada a respeito”, “sou impotente diante dessa situação”…

A depressão causa perda de vitalidade e está intimamente associada a causas que levam ao suicídio – caso em que a pessoa não vê perspectiva de ser feliz.

Portanto, para superar a depressão, é fundamental buscar ajuda especializada. A Parapsicologia, através de seu método de programação e reprogramação mental, tem obtido excelentes resultados com as pessoas que optam pela orientação parapsicológica.

Assim, a cura da depressão pode estar no movimento. Quando a pessoa deixa de resistir, compreende seus conteúdos internos, libertando-se de suas culpas e medos, reencontrando o sentido da vida e compreendendo a grande dádiva que é viver; ter um corpo saudável, uma vida repleta de superação e um mundo de novas possibilidades!

Deste modo, a pessoa que supera a depressão, descobre seu potencial mental, desenvolve a empatia – capacidade de se colocar no lugar do outro -, enfim, descobre, assim, que sua vida tem um propósito!

E você? Já passou por uma depressão ou conhece alguém nesta situação? Compartilhe com aqueles que também passam por esse momento de dificuldade!

Texto da Parapsicóloga e Pesquisadora Elis Brito

Adaptação: Marcela Salomão

Facebook
Facebook
YouTube
Instagram
WhatsApp