Quero falar sobre algo que é muito importante para seu bem-estar nesse tempo de quarentena. Tenho observado que muitas pessoas estão impacientes, tendo sintomas de ansiedade, depressão, estresse, etc.

E isso tudo é normal quando somos privados de fazer o que gostamos e estamos acostumados.

No cenário mais inusitado de nossas vidas, o mundo ficou estranhamente ameaçador. Para todos os seres pensantes, sem distinção. Em maior ou menor grau, a falta de controle traz ansiedade e sofrimento.  O que fazer com essa dor? Pedir ajuda é uma escolha inteligente.

Nos últimos dois meses, milhares de pessoas têm buscado apoio parapsicológico, psicológico e mental, de forma online para lidar com o confinamento e outras limitações impostas pelo contexto de pandemia.

 Do lado de lá da tela, há alguém que sabe ouvir você. Tem coisas que somente parapsicólogos entendem e podem ajudar pessoas a transformar o modo de viver.

As principais queixas são tristeza, medo, ansiedade e falta de perspectiva em relação ao futuro.As pessoas estão pedindo socorro”. Enquanto “o mundo exterior ficou menor, o universo interior parece ter se expandido e está adoecido“. As pessoas estão angustiadas, com raiva e sensação de impotência. “Bebem mais, tomam ansiolítico e dormem”. E, “quando acordam, estão sem rumo”.

Como não podem explodir, muitos implodem.

Em momentos assim, contar com apoio Parapsicológico (ainda que em sessões breves) pode ser valioso. “A escuta Parapsicológica amplia a representação do que cada um tem de si mesmo. Perceber-se de um outro modo, em um outro espaço e assumir o controle de si é necessário para que se estabeleça pontes seguras para o futuro.

Os desafios do isolamento em família

O confinamento da família em pequenos espaços tem provocado desentendimentos ou graves conflitos. De uma hora para outra, todo mundo foi obrigado a passar o dia inteiro junto, disputando metros quadrados.

O que se nota é incrível; enquanto um quer trabalhar, outro quer ouvir música sem fones de ouvido. Um outro ainda, tem aulas online e, por vezes, outro quer ver TV.

De repente, lá surge um que resolve fazer ginástica no quintal, na varanda, no quarto – onde quer que seja -,  mas alguém foi mais rápido e abriu o varal de chão no mesmo espaço.

 Afinal, se não aproveitar o sol que, já, já, vai embora, a roupa não seca. E haja bom senso e capacidade de negociação…

Como sobreviver nesse contexto de confinamento, de pouco espaço?

Se não houver alguma flexibilidade, os conflitos podem ganhar proporções além do razoável. “Relações de casal, de pais e filhos, filhos e pais que já não vinham bem, tendem a piorar neste momento”.

O que podemos sugerir em situações assim, é que as pessoas tentem fazer alguns acordos: combinar horários ou dias em que cada um pode usar a cozinha ou outros espaços!

Muitas vezes, esses conflitos causam dor, pois já existem outras dores. Observa-se que isso se deve ao fato de que algumas pessoas já estavam fechadas para a vida. Elas sabiam que podiam fazer coisas antes da pandemia, mas não estavam fazendo.

Tinham um desejo, mas não estavam cuidando dele. Agora, querem fazer e não podem. Talvez tenha chegado o momento de pedir ajuda! Todas são bem-vindas…

Diz um mestre de Parapsicologia: “A crise sempre produz um movimento que permite ver no negativo a possibilidade de melhorar, de ter sucesso, de crescer” (Dr. Pedro Antônio Grisa).

Algumas sugestões para um momento de pandemia

Nesse contexto, sugiro que:

– Pare agora mesmo de ver noticiários (a maioria deles são negativos);

– faça auto-hipnose sugestionando que terá um bom dia;

– Cuidado com a expressão corporal (se você acordou se sentindo triste e desanimado, ficar na cama encolhido não vai ajudar);

– planeje atividades para preencher seu dia;

– comece uma revolução! Mude o clima pesado da sua casa elogiando as pessoas, agradeça pelas coisas que elas fazem e pelas coisas boas que acontecem na sua vida;

Neste caso, parece que a parada física forçada gerou um movimento interno. Um movimento de vida. Vi gente voltar a escrever, a fazer bolos, vender marmitas, gente aproveitando o mundo Online para melhorar e se desenvolver.

Muita gente tem percebido que o pouco pode ser muito!

Não querem parar, acham que é possível fazer coisas e pensam que não vão morrer de fome. Libertou-se a confiança e o sucesso de uma transformação inerente.

Acredito que a pandemia levará muita gente a repensar várias coisas e a encontrar o seu melhor. Não existe mais a situação ideal. Existe a situação possível. E, dentro do possível, podemos muito. Se precisar, busque um Parapsicólogo do Sistema Grisa. Com certeza poderá te ajudar!

Texto do Professor Vladimir

Facebook
Facebook
YouTube
Instagram
WhatsApp